in

Afinal, os dragões existem?

Criaturas gigantes que voam e cospem fogo vivem no imaginário humano há séculos. Mas esses ‘monstros’ realmente existem? Não dessa maneira descrita pelo menos.

As primeiras representações de dragões aparecem em cavernas pré-históricas. Acredita-se que os habitantes da época desenterraram ossos de dinossauros e acharam que se tratavam de dragões mitológicos, estilo aqueles de Game of Thrones. Com base na aparência e nos hábitos alimentares, os dragões poderiam ser confundidos com predadores como o Tiranossauro Rex.

Mitologia à parte, dragões existem sim. Conheça-os:

– Cobra-dragão. A palavra dragão vem do grego ‘drákon’, que significa serpente gigante. Nativa da Malásia, a espécie ganhou esse nome por causa de suas escamas, que parecem cordilheiras.

– Dragão de Komodo. Apesar de parecer com as criaturas que cospem fogo, esse animal é apenas um lagarto gigante. Dono de um poderoso ataque, ele pode medir mais de 3 metros de comprimento e pesar mais de 100 quilos. 

– Dragão barbudo. Medindo entre 50 e 60 centímetros, esses lagartos não pesam mais do que meio quilo. Quando se sente ameaçado, ele infla as escamas da cabeça. Por ser pequeno e parecer sorrir de vez em quando, o barbudo conquistou muitos fãs e, atualmente, é um dos animais de estimação mais populares do mundo.

Advertisement

– Dragão-voador. Apesar do nome, esse animal não possui asas. Na verdade, ele tem as costelas alongadas e uns pedaços de pele nas laterais. São esses ‘retalhos’ que permitem que o lagarto deslize pelo ar, planando entre as árvores.

– Dragão-marinho. Esse peixe não tem escamas, mas placas ósseas capazes de proteger o animal contra predadores. Da mesma família do cavalo-marinho, ele também conta com uma camuflagem para se esconder em meio às algas.

– Mosca-dragão. Também chamado de libélula gigante, o inseto ganhou esse apelido por fazer manobras malucas durante o voo, atitude comparada ao dragões do imaginário humano.

Advertisement

Written by adminacesso@wp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O que não fazer e não publicar na internet

Mistérios do corpo humano